Uma Sobrinha Gostosinha

olá….espero que gostem do meu conto…

Era sexta feira a tarde e meu pai sentiu-se mal.

Eu e minha madrasta o levamos ao pronto socorro e ele teve que ficar em observação

Minha madrasta passar a noite no hospital com ele e eu fui para casa.

Era umas sete horas de noite quando minha irmã ( parte de pai) apareceu perguntando pelo pai.

Eu a acalmei dizendo que ele estava bem.

Uma Sobrinha Gostosinha

Ela então me disse que queria ir vê-lo , mas não tinha com quem deixar a filha ( minha sobrinha)

Eu me ofereci para cuidar dela ,caso ela precisa-se.

Minha irmã agradeceu e foi buscar a filha que tinha ficado em casa.

Quando voltaram ela deixou a menina no portão e foi para o hospital.

Minha sobrinha estava usando o shortinho curto e uma blusinha.

Eu pensei comigo:-isso não vai dar certo.

Ela colocou um DVD com clipes de músicas eu fui preparar pipoca pra gente.

Quando voltei ela estava deitada no chão.

Coloquei a pote com pipocas pra ela e sentei no sofá que ficava atrás dela.

De onde eu estava poderia olhar sem ser percebido.

Enquanto ela assistia distraída eu olhava aquela bundinha empinadinha.

Eu olhava e mexia no meu pau por baixo do calção me punhetando sem que ela percebesse.

Tentava não fazer barulho e nem gemer.

Após um tempo naquela punheta acabei gozando gostoso .

Eu levantei e disse pra ela que ia tomar um banho.

Ao caminhar até o banheiro o telefone toca.

Era minha meia irmã dizendo que iria demorar pois o pneu do carro tinha estourado e o borracheiro não tinha chego ainda.

Eu disse pra ela não se preocupar que estava tudo tranqüilo em casa.

Enquanto tomava banho pensava em como chegar na minha sobrinha.

Eu estava doido pra meter naquela bundinha gostosa.

Ao abrir a gaveta pra pegar o sabonete eis que vejo um vidrinho de diazepan que meu pai tomava.

Pensei em como eu seria maldoso se desse pra ela tomar.

Mas eu estava com muito tesão e precisava pelo menos ver a minha sobrinha peladida.

Passar a língua naqueles peitos durinhos e na rachinha gostosa.

Fui até a cozinha fiz um suco de maracujá , coloquei umas gotas e misturei bastante.

Fui para a sala e ofereci pra ela tomar.

Ela não quis tomar porque preferia coca cola.

Eu fiz carinha de choro e pedi pra ela tomar pois tinha feito com tanto carinho.

Ela riu e tomou tudo e depois voltou a assistir os clipes.

Não demorou muito pra ela cair em sono profundo.

Eu a chamei, sacudi e nada.Estava dormindo mesmo.

Olhei para o meu relógio para ver que horas eram e o tempo que eu tinha .

Pelos meus cálculos eu teria uma duas horas no mínimo.

Peguei minha sobrinha no colo e a levei até o quarto onde eu dormia.

Com muito cuidado a coloque na cama e fui tirando o shortinho dela e depois a calcinha.

Que surpresa em ver aquela bucetinha lisinha.

Eu sem perder tempo comecei a lamber aquela raxinha linda.

Enquanto lambia e chupava aquela preciosidade, mexia em meu pau que estava duro feito ferro.

Eu estava muito doido de tesão.

Pegue meu cacete e dava pinceladas na entradinho da buceta.

Precisava meter nela. Precisava gozar gostoso.

Eu não estava aguentando.

Virei ela de bundinha pra cima , lambuzei meu dedo e fui tentando meter no cuzinho dela.

Comecei com o menor até que consegui enfiar todinho.

Daí passava para outro dedo maior.

Depois dois.

Demorou mas consegui deixar o rabinho bem abertinho e lambuzado.

Lambuzei meu pau e posicionei na entrada do buraquinho.

Fui metendo devagar.

Cada vez que entrava um pouco ela se mexia e eu parava.

Fui assim até conseguir colocar a metade do meu pau.

Eu já estava satisfeito mas de repente ela deu um movimento mais brusco e me pau entrou mais.Pensei que já que coloquei mais da metade,poderia por tudo.

Fui metendo e parando pois ela mexia e parecia que ia acordar,

Foi assim até que eu senti meu saco bater na bundinha dela.

Aí fui colocando e tirando bem devagar até o cuzinho dela acostumar.

Fique nisso um tempo e depois de muito vai e vem senti que ia gozar.

Tirei meu pau e gozei gostoso.

Nossa ,foi uma gozada sensacional.A melhor que eu tive até aquele momento.

Limpei o cuzinho dela com papel higiênico , coloquei a roupa e a levei até a sala na posição que estava.

Deitei no sofá e acabei dormindo.

Acordei com ela me chamando dizendo que estava com fome.

Fui com ela na cozinha e no caminho vi que ela coçava o rabinho, mas não reclamou de nada.

Fiz um lanche e enquanto comíamos minha irmã chegou.

Ela ainda me agradeceu por ter cuidado da sua filha.

Eu sorri e disse que quando precisasse eu estaria sempre a disposição.